Retornar a primeira página

PAPF, Karl Ernst
Pintor, desenhista e fotógrafo.
Karl Ernst Papf (1833: Dresden, Alemanha – 1910: São Paulo, SP).

Pai do fotógrafo Jorge Henrique Papf, desenvolveu intensa atividade de retratista, mas foi mais bem sucedido como paisagista e como autor de naturezas-mortas e flores.

Muito jovem, realizou seus estudos na Academia de Pintura de Dresden.
1852 – Apresentou o quadro Lembranças paternas, um de seus trabalhos mais conhecidos.
1867 – Chegou a Recife, PE, contratado para trabalhar como fotógrafo na empresa Albert Henschel & Cia.(depois Photographia Allemã). Neste período atendeu encomendas de retratos em fotopinturas, técnica que se popularizou na época, e que consistia em executar retratos, ou outros motivos, partindo da fotografia.
1872 – Foi para Salvador, BA, como funcionário da sucursal desta empresa.
1874 – Pintou, em Salvador, os retratos do visconde e da viscondessa de Abaeté, que pertencem hoje ao Museu Histórico Nacional, do Rio de Janeiro.
1877 – Transferiu-se para o Rio, para trabalhar em outra sucursal da Albert Henschel & Cia. Na capital do Império, a profissão de fotógrafo estava em alta, sendo o imperador Dom Pedro II um dos aficionados da nova arte. Sua competência como pintor foi reconhecida, sendo contratado para retratar a princesa Isabel, o conde D'Eu e o príncipe do Grão-Pará.
1878-80 – Morou em Niterói, RJ. Realizou uma de suas melhores e mais conhecidas paisagens, a Praia do Cavalão.
1880 – Foi morar em Petrópolis, RJ.
1885 – Desligou-se de Henschel e criou sua própria firma em Petrópolis, a Photographia Papf.
1886 – Pintou a paisagem Vista do Rio de Janeiro tomada da Serra de Petrópolis.
1899 – Transferiu-se para São Paulo, onde trabalhou na Photographia Allemã e abriu pessoalmente um estúdio, deixando em Petrópolis seu filho Jorge Henrique na direção do estúdio. Comprou a Fazenda das Palmeiras, em Sabaúna, no interior de São Paulo.
1980 – Foi lançado o livro Karl Ernst Papf: 1833-1910, do historiador Carlos Roberto Maciel Levy.

Realizou, a saber, as exposições individuais que se seguem:
1882 – Liceu de Artes e Ofícios, Rio de Janeiro.
1884 – Glacê Elégante, Rio de Janeiro.

Tomou parte das seguintes mostras coletivas:
1880 – Primeira Exposição Industrial e Artística de Petrópolis, medalha de outro.
1897 – Exposição Geral de Belas Artes, Rio de Janeiro.

Parte de sua obra foi apresentada postumamente nas mostras abaixo:
1980 – Retrospectiva, Museu Imperial, Petrópolis; Retrospectiva, Pinacoteca do Estado, São Paulo.

Fontes
BERGER, Paulo. Pinturas e pintores do Rio antigo. Textos de Paulo Berger, Gomes Mathias e Donato Mello Junior, Kosmos, Rio de Janeiro, 1990.
CAMARGO, Armando de Arruda (org). A paisagem brasileira: 1650-1976, Sociarte/Paço das Artes, São Paulo, 1980.
CAVALCANTI e Ayala. Dicionário Brasileiro de Artistas Plásticos. MEC INL, 1973-77.
DUQUE-ESTRADA, Luis Gonzaga. A arte brasileira: pintura e esculptura. H. Lombaerts & C., Rio de Janeiro, 1888.
FREIRE, Laudelino. Um século de pintura no Brasil. Fontana, Rio de Janeiro, 1983.
LEITE, José Roberto Teixeira. Dicionário Crítico da Pintura no Brasil. p. 384, Artlivre, Rio de Janeiro, 1988.
LEVY, Carlos Roberto Maciel. Karl Ernst Papf: 1833-1910, apres. Max Perlingeiro, Pinakotheke, Rio de Janeiro, 1980.
PONTUAL, Roberto. Dicionário das artes plásticas no Brasil. Civilização Brasileira, Rio de Janeiro, 1969.
RUBENS, Carlos. Pequena história das artes plásticas no Brasil. Ed. Nacional, São Paulo,1941.
< http://www.pt.wikipedia.org/wiki/Karl_Ernst_Papf>
< http://www.artedata.com/crml/crmI3001.asp?ArtID=106>
< http://www.pitoresco.com.br/brasil/papf.htm>

 

RMS