imprimir

OHASHI, Helena Pereira da Silva
Pintora, musicista e professora.
Helena Pereira da Silva Ohashi (1895: São Paulo, SP – 1966: Idem).

Praticou paisagens, naturezas-mortas e retratos.

Filha do pintor Oscar Pereira da Silva, seguiu inicialmente os passos da pintura acadêmica do pai, seu primeiro mestre, para aderir posteriormente ao modernismo. Morando, com a família, em São Paulo, num casarão da Rua Augusta, frequentou os melhores colégios da cidade.
1911 – Passou uma temporada na França, país natal de sua mãe. Contudo, com a morte desta, a família regressou a São Paulo.
1912-14 – Por iniciativa do deputado paulista Freitas Valle, conhecido de seu pai, foi uma das agraciadas pelo programa Pensionato Artístico criado em 1912 pelo Governo do Esatdo de São Paulo, que subvencionava estudos de aperfeiçoamento de artistas paulista na Europa. Graças a essa bolsa, voltou à França, tendo antes visitado a Peninsula Ibérica e diversas cidades italianas. Em Paris, estudou na Académie Julien com Chaumert, matriculando-se depois no Curso Colarossi. Autorizada a frequentar a Escola de Belas Artes, ali teve aulas com Hebert.
1914 – Devido à eclosão da I Guerra Mundial, deixou Paris e viajou para Bordéus, de onde embarcou de volta para o Brasil.
1920 – Retornou a Paris, ingressando na Academie de la Grand Chaumière, onde teve contato com técnicas pictóricas menos convencionais.
1920-40 – Radicada em Paris, participou ativamente da vida artística e mundana da capital francesa. No decorrer desses anos, passou algumas temporadas no Brasil, realizando algumas exposições em São Paulo.
1928 – Conheceu o pintor japonês Riokai Ohashi, seu colega num dos cursos de pintura que fez em Paris e que veio a exercer considerável influência nos rumos de sua pintura.
Década de 1930 – Foi, provavelmente, a primeira pessoa do Brasil a produzir comercialmente design de moda para exportação. Morando na França, desenhava roupas de estilo ocidental para a loja de departamentos japonesa Matsuzakaya.
1933 – Casou-se, em Paris, com Ohashi.
1935 – Foi morar com o marido em Ashiya, no Japão.
1940 – Devido à eclosão da II Guerra Mundial, regressou ao Brasil, realizando exposições individuais em São Paulo e no Rio de Janeiro, RJ.
1940-41 – Passou um período na Argentina, acompanhando o marido.
1943 – Enviuvou no Japão, mas continuou residindo no país.
1949 – Voltou ao Brasil, quando de novo em situação de penúria, dando aulas.
1952 – Regressou, por curto período, à França.
1953 – Foi morar em Campinas, SP. Dando continuidade à sua carreira artística, teve seus trabalhos recusados pelo Salão Paulista, muito embora, no passado ter participado, em Paris, do Salon des Artistes Français e do Salon des Tuilleries.
1969 – Foi publicada sua autobiografia, escrita em 1965 e intitulada Minha Vida – Brasil – Paris – Japão, em tiragem reduzida e com pouquíssima repercussão.

Participou, entre individuais e coletivas, além das já mencionadas, das seguintes exposições:
1919 – Santos, SP, onde expôs retratos e naturezas-mortas.
1952 – Biblioteca Pedro Janussi, Mogi-Mirim, SP.
1958 – Salão Seibi-Kai, São Paulo.
1963 – Centro de Ciências e Letras, São Paulo.
2004 – Mulher Moderna, Ashiya City Museum of Art, Ashiya.


Fontes
CAVALCANTI e AYALA. Dicionário Brasileiro de Artistas Plásticos. MEC/INL, 1973-77.
LEITE, José Roberto Teixeira. 500 Anos da Pintura Brasileira. Produção Raul Mendes Silva. CDROM, Logon Informática, Rio de Janeiro, 1999.
PONTUAL, Roberto. Dicionário das artes plásticas no Brasil. Civilização Brasileira. Rio de Janeiro, 1969.
< http://www.abrademi.com/Helena_Ohashi.html>
< http://fmcultura.blogspot.com/2007_05_01_archive.html ->
< http://www.pagu.unicamp.br/files/cadpagu/Cad03/pagu03.11.pdf>

 

RMS